quarta-feira, 4 de novembro de 2009

À duas mãos.

Na fase do não escrevo
A mão torna-se pesada
O estilo perde o fio
E a folha, a meada
O que antes era leve
Engrossa-se e desafina
E o poema que era fácil
Sublima.

O que antes era claro, turva
O que fora clarão, anuvia
E outra vez pousa a mão sobre a mesa
A falta de formas
Torna-se outra vez
Leveza.

________________________________
Poema do ato de poetar.
Primeira estrofe por Sam.
Segunda por Mim.
Numa conversa de MSN.

4 comentários:

Olho de Tornado disse...

É disso que eu falo.
Leveza.

manuh disse...

O que se faz num segundo e não se faz no outro?
Inspiração.
Tem gente que consegue sendo triste.
Tem gente que consegue fazendo sexo.
Tem gente que consegue se embebedando.
Tem gente que só consegue...

Auíri Au disse...

Está no dia a dia

Fernanda disse...

Oi Thaty,
Como sempre seu blog continua belo. Recheado de poesia. Bravo! Quando saíra o livro? Bjo. Fé.
http://mefaltaumpedacoteu.zip.net

 

© 2009Reticências | by TNB